Homilia



Quinta-feira – Dia 21 de Dezembro de 2017

Publicado: 21/12/2017

Homilia Diária – Dia 16 de Março de 2017

Publicado: 16/03/2017

Homilia Diária 16/03/2017 

Cuidemos dos pobres e necessitados

Não sejamos indiferentes aos pobres nem à pobreza do mundo, não nos comportemos como se esse problema não fosse nosso

“Um pobre chamado Lázaro, cheio de feridas, estava no chão, à porta do rico. Ele queria matar a fome com as sobras que caíam da mesa do rico” (Lucas 16,20-21).

Nas portas de nossas casas, de nossas ruas e avenidas há muitos “Lázaros” caídos, prostrados, sedentos, famintos, precisando de pão, água, alimento, acolhimento e amor.

A questão que o Evangelho aponta, hoje, para nós é a indiferença, a arrogância, a opulência do rico esquecendo, deixando de lado, um pobre faminto que está à porta da sua casa. Ele [rico] está se banqueteando, está feliz com os bens e o dinheiro que tem, e promove muitas festas, mas nunca ligou para o pobre que está na porta da sua casa.

Veja o pobre Lázaro, mendigo, abandonado. Ele morre, e o rico também. O rico vai para os tormentos do inferno e o pobre vai para junto de Deus, para o seio de Abraão. Lá onde está, o rico suplica para que alguém molhe a sua língua, porque ele necessita de um alívio por todo o calor e sofrimento que passa.

A resposta de Abraão é que há um abismo que separa aquele que está no Céu do que está vivendo a vida distante de Deus. Esse mesmo abismo há depois da morte entre aqueles que foram salvos, e os que não foram salvos, é o abismo que existe também no meio em que nós vivemos e estamos.

Infelizmente, há um grande abismo social que separa ricos e pobres, que permite a alguns banquetearam, terem comida para jogar fora e assim por diante; e tantos outros vivendo na miséria, passando fome e necessidade. E o que cria, sobretudo, este grande abismo é a indiferença dos que têm, para com aqueles que nada têm.

É importante que, neste tempo que estamos vivendo, tomemos consciência de que o problema e o sofrimento dos pobres é nosso. A fome, a sede, a necessidade, tudo aquilo que ele passa, não podemos nos comportar com indiferença!

Existem muitos Lázaros no meio de nós, existem muitas pessoas passando verdadeira fome, pobreza material, sem ter o que comer, o que vestir nem o que beber; e não podemos dizer que este problema não seja nosso. Não podemos ter a opulência do rico. Por mais que eu diga: “Eu não sou rico como ele!”, mas isso não é a questão. A questão que infligiu e afastou esse rico do Reino de Deus foi a sua indiferença para com aquele pobre que estava na porta da sua casa todos os dias.

Não sejamos indiferentes aos pobres nem à pobreza do mundo, não nos comportemos como se esse problema não fosse nosso. Todos nós precisamos abrir o nosso coração para acolher, amar e cuidar dos Lázaros que estão à porta de nossas casas!

Deus abençoe você!


Homilia Diária – 01 de Março de 2017

Publicado: 21/02/2017

Homilia Diária – 01/03/2017

Quaresma é tempo de voltarmos para Deus.

É tempo de mudanças, de voltarmos para o Senhor

“Rasgai o coração, e não as vestes; e voltai para o Senhor, vosso Deus” (Jl 2,13)

Iniciamos, hoje, o tempo agraciado da Quaresma, tempo especial no coração de Deus, para que todos voltemos nosso coração para o Senhor nosso Deus. Os excessos da vida e de tantos outros acontecimentos afastam-nos um pouco do Senhor, às vezes muito ou totalmente.

Deus é bom, é misericordioso, Ele mesmo toma a iniciativa de vir atrás de nós, de cada um de nós. O Senhor não nos quer distantes d’Ele, Ele nos quer próximos, quer que sejamos íntimos d’Ele, por isso nos dá este tempo de graça.

O que precisamos fazer para estarmos próximos do Senhor? Rasgar o nosso coração, abrir-nos para valer, dilacerar nosso coração, para que Deus entre nele. Deus não quer ficar de fora, não quer ficar na superfície, na porta; Ele quer entrar no nosso coração, porque só Ele tem o poder de mudá-lo, de mudar a nossa cabeça, nossa mente, nossas intenções e cuidar de cada um de nós.

O providencial, de que fala o profeta Joel, é: “rasgai o coração e não as vestes”. Terminamos esse tempo de carnaval, e o que vimos para lá e para cá? Muitas alegrias em muitos lugares, muita gente rasgando suas vestes, outras até sem elas! Muitas vezes, a nudez e tantas outras coisas comprimem o coração humano, tornam-no mais pesado. O que precisamos agora?

Independente da conduta de vida que temos, não devemos julgar quem fez isso, quem fez aquilo; cada um deve olhar para si, olhar para sua conduta, para suas escolhas de vida e aproveitar o tempo oportuno de Deus para converter o coração.

Não somos nós que queremos nos converter, mas sim Deus que quer a nossa conversão. O que precisamos ter é abertura de coração, é nos colocarmos à disposição de d’Ele para que Ele realmente faça a obra, realize a metanoia em nossa vida, mude a nossa mentalidade, nossa maneira mesquinha, egoísta e soberba de pensar, para que tenhamos em nós a mentalidade de Deus.

Cada um recebeu as cinzas em sua cabeça, é necessário escutarmos nosso coração. Converter-vos, o tempo é de conversão, de mudança de rota, de situação, de comportamentos. Precisamos mudar nossas atitudes, a nossa forma de pensar, de sentir e agir, e isso só acontece quando cremos no Evangelho, quando fazemos d’Ele o livro da vida, a disposição de vivermos essa vida quando a colocamos no referencial do Evangelho.

O Evangelho se torna luz para iluminar nossos passos, nossos caminhos, para direcionar nossa vida. Deus nos conceda um santo tempo de Quaresma, para que Ele faça com que nosso coração se rasgue e o Senhor entre nele fazendo uma obra nova.

Deus abençoe você!

Padre Pedro Leandro Ricardo

Pároco Reitor